O poder está nas trocas | Revista Fleury Ed. 40

Quando mulheres se articulam, uma amplia a força da outra.
Publicado em 10 de Janeiro de 2019
Compartilhar:

Quando mulheres se articulam, uma amplia a força da outra. Foi nessa forma de empoderamento que apostamos para a produção da capa desta edição. O que Janaina contou, a repórter Bruna ouviu e teceu em texto; o que Janaina tinha para mostrar, Kriz prendeu no tempo da fotografia, sobre a qual Carolina e Juliana realçaram em traços o que era essencial. E tudo foi para o talentoso olhar de Débora, que alinhavou as páginas que chegam para você. Não que Janaina Rueda precisasse, uma vez que ela já se mostra pura força e domínio de si. Mas mesmo a Dona Onça, na entrevista, demonstra saber do poder das trocas ao relatar seu precioso trabalho com as merendeiras das escolas estaduais paulistas, por exemplo.

É dessa forma que coletivos femininos se estruturam para melhorar a vida de outras mulheres. E é também dando as mãos a outras mulheres – mães, irmãs, amigas – que as pacientes de câncer de mama enfrentaram a doença com valentia e hoje podem contar suas histórias e inspirar outras tantas. De nossa parte, contribuímos ainda com um guia prático para o diagnóstico precoce. No novo mundo do trabalho, que se mostra cada vez mais flexível e diverso, é nos vínculos que os profissionais constroem caminhos para evoluir.

No infográfico, contamos como o desequilíbrio hormonal pode nos tirar do controle sobre o próprio corpo e também sobre as emoções. E o que fazer quando a idade parece tirar da gente toda autonomia? Depois de se voltar para dentro e se conhecer bem, se colocar no mundo. “Não se isole”, ensina Maria Célia de Abreu, na seção Entre Aspas. E por fim, um lembrete que ela aprovaria: “Nós não paramos de brincar porque envelhecemos. Nós envelhecemos porque paramos de brincar”, dizia o dramaturgo, romancista, ensaísta e jornalista irlandês George Bernard Shaw.

Boa leitura!